Assine a news!
Assine a nossa news e receba informações, notícias, dicas de limpeza e preservação do meio ambiente.
Obrigado!
Banner

R E C I C L A G E M

 

O QUE É A RECICLAGEM

A reciclagem é o resultado de um conjunto de técnicas e atividades que tem o objetivo de reaproveitar e reutilizar os resíduos de substâncias em seus ciclos de produção. Hoje, já se encontram várias alternativas de reaproveitamento destes materiais em confecções de produtos artesanais, vestuário, acessórios, etc., dos lixões.

 

 QUAL A IMPORTANCIA DA RECICLAGEM?

 Cada vez mais se faz necessário o cuidado e a atenção com o meio ambiente. O desequilíbrio provocado pela devastação de recursos naturais está colocando em risco, não só espécies animais e vegetais, mas a sobrevivência do próprio homem no planeta. Uma das formas de revertermos esta situação é o reaproveitamento de materiais recicláveis, evitando uma maior extração de recursos e diminuindo o acúmulo de lixo nas áreas urbanas.

 

A RECICLAGEM E O MEIO AMBIENTE

Uma das principais preocupações dos centros urbanos é a quantidade do lixo produzido pela população. Esta questão representa um dos maiores desafios a ser enfrentado pelas administrações públicas, pois além dos problemas relacionados aos catadores dos lixões, à falta de espaço para disposição dos resíduos, deve também ser levada em conta a preservação do meio ambiente.

A atitude de reciclar, além de diminuir a quantidade de lixo a ser tratada e eliminada, contribui significativamente para a redução da extração de matérias-primas necessárias à produção de novos bens de consumo. Afinal, adotar a educação ambiental, colocando os resíduos recicláveis nos locais devidos, não nos custa nada e ainda promove uma melhor qualidade de vida para toda a população.

Ter uma vida mais saudável depende tanto de uma política pública de serviços ambientalmente adequados de limpeza urbana quanto da atitude da população. Poderemos verificar uma notável diferença nos resultados finais deste investimento, partindo da prática da teoria dos 3 R's, que significam: Redução, do uso de matéria-prima e energia e do desperdício nas fontes geradoras, Reutilização dos materiais e a Reciclagem.

Esta técnica de separação dentro da metodologia dos 3 R's, se torna cada vez mais eficiente e imprescindível para um modo de vida mais saudável e responsável. Pois, além da preservação dos recursos naturais do meio ambiente, a reciclagem se torna socialmente importante, desde o momento e que gera emprego e renda para catadores de rua e dos lixões.

 

O que é necessário para o síndico do meu prédio implantar a separação de recicláveis no meu condomínio?

Para implantar a separação de recicláveis em um condomínio, seja ele de casas ou apartamentos, basta especificar um local para a colocação de contêineres para cada material e logo após comunicar a todos os moradores.

 

E se no meu condomínio não houver espaço para os contêineres?


Não há problema nenhum. A separação dos materiais recicláveis pode ser feita e armazenada dentro da própria residência até o dia da coleta. Já que os resíduos estarão limpos, não produzirão mau cheiro. Porém, o síndico ou o funcionário responsável deve orientar os moradores para colocar a sacola de lixo reciclável para ser recolhida somente no dia da passagem do caminhão. Assim, evita-se que se acumulem lixos nas calçadas e que alguém mexa no lixo, o que é proibido.


Onde armazenar o lixo até a coleta?

 

Para que não ocupe muito espaço, o lixo deve ser compactado, ou seja, os papéis devem ser colocados em pilhas, as latinhas amassadas, as garrafas pet (plásticos), por exemplo, colocadas separadas, assim como os vidros. Em seguida, o lixo deve ficar dentro de sacos de plástico resistente, ou no caso das pilhas de papel, amarrada com barbante ou outra fita resistente, e armazenado em local fechado e ao abrigo de sol e chuva até o dia da coleta.


Caso o meu condomínio não adote o procedimento de separação de lixo reciclável, eu posso fazer isso sozinho? Como?

 

Claro que pode. O fato de o síndico do seu prédio não aderir a este procedimento não interfere em nada na sua escolha. Como em resposta anterior, o lixo reciclável pode ser armazenado dentro da sua residência, por não exalar mau cheiro, até o dia que a coleta seletiva for passar na sua rua.

 

Como deve ser a separação do lixo

Passo a Passo

Para que o lixo doméstico produzido possa ser reciclado ele precisa ser, primeiramente, separado em casa. A tarefa de separar o lixo na própria residência é bem simples e pode trazer uma série de vantagens para os moradores, para a vizinhança e para o meio ambiente, principalmente.

Veja a seguir como é fácil:

1º passo:
Devemos separar todo o material que pode ser reciclado do que não pode, ou seja, vidros, papéis, plásticos e metais devem ser colocados em outro saco ou container de lixo. É importante lembrar que o lixo orgânico não deve ser colocado junto do lixo reciclável apesar de também pode ser reutilizado.

2º passo:
Todo o material reciclável, anteriormente separado, deve ser lavado e estar seco para que possa ser reciclado.

3
º passo:
Com o material reciclável limpo e separado, basta depositá-lo em um local estratégico e diferente do local onde se deposita o lixo comum, para que seja fácil o recolhimento. Vale lembrar que fica muito mais prático colocar o lixo reciclável em um saco plástico transparente, tanto para quem recolhe quanto para quem separa o lixo.

Antes de colocar o lixo na calçada deve-se verificar o dia exato que a coleta seletiva de lixo faz o recolhimento no seu bairro.

Fonte: SEAC GO

                                                                    

 

Como lavar as roupas e ser mais sustentável

reaproveitamentodaguaVeja a seguir 11 super dicas de como transformar o ato de lvar roupas muito mais sustentável.

1. Na hora de comprar a máquina, escolha os modelos com maior eficiência energética e que seja adequada às suas necessidades.

2. Máquinas com abertura frontal usam menos água, consomem 40% menos de energia e menos sabão quando comparadas às de abertura superior. Além disso, o processo das lavadeiras de abertura frontal é mais delicado, danificando menos as roupas.

3. Espere ter uma carga completa antes de ligar a máquina de lavar. Sempre que for lavar quantidades menores, ajuste o nível de água.

4. Sempre que a roupa não estiver tão suja, opte pelos ciclos menores da máquina, que consomem menos água e energia.

5. Use apenas a quantidade de sabão necessária. Qualquer excedente não deixará a roupa mais limpa e exige mais na hora de enxaguar. A média calculada é que cada 100 gramas de sabão produzido emite 1,3 quilos de gases causadores do efeito estufa.

6. Opte por produtos de limpeza que não tenham produtos químicos na composição.

7. Reutilize a água do enxágue final para limpar calçadas, por exemplo.

8. Faça a manutenção correta da máquina de lavar, isso preserva o aparelho por mais tempo e melhora a qualidade da lavagem das roupas.

9. Sempre que possível, deixe as roupas secarem naturalmente em um varal.

10. Sacudir as roupas antes de pendurar no varal reduz a necessidade de passá-las depois.

11. Quando usar uma secadora, separe roupas pesadas de leves, ajustando o tempo de secagem para cada necessidade.

 

Fonte: Atitude Sustentável

 

Algumas atitudes simples podem fazer a diferença no volume de lixo produzido.

Este é um dos resultados dos maus-tratos à naturezaAlgumas atitudes simples podem fazer a diferença no volume de lixo produzido. Além de preservar o ambiente, mudar certos padrões de consumo também traz benefícios para o seu bolso.

Eletrodomésticos e eletrônicos

Ao substituir computadores, eletrodomésticos e celulares, lembre-se que conhecidos, instituições de ensino, ONGs e bazares beneficentes podem se beneficiar desse material.

Lixo orgânico

Se você tem plantas em casa, transforme o lixo orgânico em adubo. Acomode o resto de comida em um recipiente, revolva e umedeça o material e adicione serragem ou folhas secas. O adubo é obtido após dois ou três meses. Se houver cheiro desagradável por causa da decomposição, jogue cal, que corrige o processo de acidificação. Caso você more em apartamento e por isso não tenha espaço para colocar o recipiente, reúna-se com seus vizinhos e monte, com eles, uma composteira na parte externa do prédio.

Papel

Prefira usar papel reciclado. Cada brasileiro gasta, em média, duas árvores com o papel que utiliza anualmente. Se esse papel fosse reutilizado ou enviado para reciclagem, a cada ano, uma árvore e meia seria poupada. Também seriam economizados 2.000 litros de água e 120 litros de petróleo. Caso 10 milhões de brasileiros fizessem o mesmo, 15 milhões de árvores seriam poupadas, além de uma quantidade de água suficiente para abastecer uma cidade com 200 mil habitantes e 1,2 bilhão de litros de petróleo.

Tinta para impressão

Cada cartucho de tinta requer o uso de cinco litros de petróleo em sua fabricação e demora cerca de 50 anos para se degradar na natureza. Por isso, vale a pena usar cartuchos reciclados.

Embalagens

Ao comprar produtos não-perecíveis, dê preferência às embalagens maiores ou a granel, assim como às linhas que contam com refil. E lembre-se que sempre é possível fazer novo uso de embalagens PET e frascos de vidro, antes de descartá-los.

No futuro, os chamados bioplásticos – plásticos obtidos a partir da cana-de-açúcar e de outras substâncias de origem vegetal – deverão substituir as embalagens existentes. Eles possuem a vantagem de ser provenientes de fontes renováveis. Enquanto isso não ocorre, trocar os sacos de plástico pelos de papel é uma opção.

Desodorante pessoal e de ambiente

O mercado ainda fabrica alguns desodorantes em aerossol que emitem clorofluorcarbono – CFC – um gás que destrói a camada de ozônio (responsável pela filtragem de raios solares nocivos à saúde, como o ultravioleta). Portanto, repare se o rótulo contém a frase “sem CFC”.

Detergente

Utilize sempre produtos de limpeza biodegradáveis, ou seja, que podem ser destruídos pelos microorganismos existentes na água. Ao adquirir produtos químicos, verifique se a embalagem é reciclável e se o rótulo possui informações sobre a composição química e o fabricante. Evite produtos com cloro, formaldeído e solventes derivados de petróleo (tricloroetileno, metileno, benzeno, nitro-benzeno etc), que podem poluir o solo, o ar e a água.

Grande parte dos detergentes disponíveis no mercado também possui fosfatos em sua formulação, substâncias que, ao atingir rios e lagos, levam ao crescimento exagerado de algas que consomem o oxigênio da água. Aos poucos, os fosfatos vêm sendo substituídos por carbonato e silicato de sódio, menos nocivos ao ambiente.

Uma alternativa ecológica ao detergente é usar o sabão em pedra dissolvido previamente em água quente. O produto é atóxico, fabricado a partir de matérias-primas renováveis (óleos e gorduras) e biodegradável.

Água sanitária

A água sanitária é composta de cloro, substância que ameaça animais e microorganismos presentes no solo e nos rios, onde é despejada. Procure trocar o produto pelo vinagre (que ajuda a desengordurar) e bicarbonato de sódio. Se o objetivo for branquear suas roupas, deixe-as ensaboadas com sabão de coco no sol, ou coloque-as de molho na água com meio copo de bórax (substância atóxica encontrada em farmácias).

Sabão em pó

Quanto maior o efeito branqueador do sabão em pó, maior o dano à natureza. Também possui fósforo em sua composição, para neutralizar o cálcio e o magnésio e melhorar a sua eficiência. Prefira o sabão em pó de coco, ou as marcas que não contêm fosfatos.

Desinfetante

A maioria dos desinfetantes tem efeito tóxico para o meio ambiente. Você pode fazer um produto natural para limpar seu banheiro.

Fonte: UOL Ciência e Saúde